Detalhes da Viagem:

Data: 19/02/2010
Cidades Visitadas: 75
Distância Percorrida: 1813 km

Pequeno resumo da viagem:

Achando que já sabia de tudo sobre “viajar todas as cidades”, resolvi então encarar um desafio maior e bem mais longe de casa: o SERGIPE.

Dei início a essa aventura no dia 19/02/2010 e não poderia deixar de registrar aqui a minha passagem pela Bahia (fora do contexto da viagem para Sergipe)

No primeiro dia dormi muito bem em Eunápolis e me deliciei com uma boa cervejinha num dos diversos bares da cidade.
Saí cedo em direção a nossa próxima parada, Alagoinhas, que além de dormir num excelente hotel, tive o prazer de comer um delicioso “bife a parmegiana” num restaurante localizado em um dos cruzamentos mais movimentados da cidade, onde me divertia contando quantas pessoas usavam cinto de segurança e capacete.
Dando início a minha aventura, segui no dia seguinte (21/02/2010) em direção a minha primeira cidade: Tomar do Geru (localizada no bioma da caatinga e mata atlântica) onde o que impressionava era a alegria e atenção do povo daquela região.
Passei minha primeira noite no Sergipe num modesto motel em Carira (já bem dentro da caatinga sergipana), num preço razoável e bem aconchegante. Depois de uma boa noite de sono e cruzar algumas cidades por onde também passou Lampião e seu bando, cheguei à cidade de Canindé de São Francisco (extremo oeste de Sergipe, divisa com Alagoas e as margens do Rio São Francisco) onde não podia deixar de narrar o almoço que tive numa boa churrascaria da cidade e que presenciei uma mesa bem farta e um preço bem modesto.
Como nem tudo são flores, os equívocos vão acontecendo. Meu destino era a cidade de Porto da Folha e iria pegar um caminho, que distava mais ou menos 30 km, até um lugarejo chamado Ilha do Ferro, porém por uma desatenção passei da entrada e tive que andar 94 km até a cidade de Pão de Açúcar/AL, onde fui agraciado com uma simpática travessia de balsa por uma bela paisagem do Rio São Francisco.
Na cidade de Nossa Senhora de Lourdes aprendi duas novas lições: a primeira foi que você nunca deve desesperar quando não conseguir um hotel para passar a noite, sempre terá algum lugar para você ficar, ainda mais se este estado for Sergipe. Meus sinceros agradecimentos a pousada do Gordo; e a segunda é que você não deve discutir com moradores (teimosos) da região qual a próxima cidade a ser visitada onde, com certeza, ele te indicará a cidade mais próxima e não aquela que você precisa ir.
Seguindo em direção ao litoral pernoitei em Própria. Neste hotel constei uma das vistas mais deslumbrantes do Velho Chico à noite, porém o preço pago foi bem salgado (quase três vezes mais do que o normal) por um hotel caindo aos pedaços e literalmente entregue as baratas, formigas, etc
Pela manhã, depois de um pouco de chuva no litoral à noite já estava de volta à caatinga para mais uma noite de sono em Ribeirópolis. Cabe ressaltar que todas as cidades em que passei (com raras exceções) são simples e modestas, porém com praças, ruas e prédios públicos muito bem cuidados.
Foi no sexto dia que cheguei à Aracaju, lindíssima capital do estado, onde deliciei um incrível peixe na hora do almoço e segui para o meu pernoite em São Cristóvão, a quarta cidade mais antiga do país e a primeira capital de Sergipe.
Encerrei minha viagem na cidade de Cristinápolis e segui para meu pernoite em Esplanada/BA. Pela manhã peguei a belíssima estrada do coco em direção a Salvador. Reservei o Ferry-boat para as 15h00min e desfrutei de um ótimo almoço no pelourinho. Dormi na cidade de Ubaitaba/BA e cheguei em casa no finalzinho da tarde.
Nessa aventura consegui 319 fotos, 300 minutos de vídeos e 2598 km rodados no estado de Sergipe.