Goiás – Significado dos Nomes

Cidades ordenadas por ordem alfabética:

1. Abadia de Goiás – Homenagem à padroeira da cidade Nossa Senhora D’Abadia
2. Abadiânia – Topônimo em louvor à Padroeira, Nossa Senhora D’Abadia.
3. Acreúna – O nome Acreúna é devido ao fato da cidade ter sido construída às margens da rodovia BR-060, que ligava Goiânia ao Acre, e por estar no município de Paraúna. Com a junção de “Acre” e “una”, deu-se origem o nome “Acreúna”.
4. Adelândia – A denominação é uma homenagem à dona Adélia, mulher do fazendeiro Domingos Alves Sobrinho, que doou as terras onde se formou o núcleo populacional.
5. Água Fria de Goiás – O topônimo Água Fria de Goiás surgiu pelo fato do povoado ter se desenvolvido na localidade da antiga fazenda Beco, posteriormente denominada fazenda Água Fria, que por sua vez recebeu este nome devido à existência de um pequeno riacho que possuía água muito fria.
6. Água Limpa – O nome “Água Limpa” tem sua origem em virtude da existência, no local, de um córrego com essa denominação, em cuja margem esquerda acha-se localizada a cidade.
7. Águas Lindas de Goiás – Segundo moradores pioneiros, a origem deste nome deve-se a uma homenagem à nascente “Águas Lindas”.
8. Alexânia – O povoado recebeu o nome de “Alexânia”, homenagem ao seu idealizador e Fundador Alex Abdallah.
9. Aloândia – O topônimo de ALOÂNDIA, por influência do jornalista João G. Chaves, de O Buriti, significando: “saudação à luz”.
10. Alto Horizonte – Provavelmente, por estar situada em terras de posição geográfica privilegiadas, a configuração da topografia do terreno alto, porém plano.
11. Alto Paraíso de Goiás – Este nome por causa de sua fazenda, chamada Paraíso e que fica a uma altitude mais baixa do que a antiga Veadeiros, logo ele imaginou a fazenda paraíso no alto: Alto Paraíso.
12. Alvorada do Norte – Nome dado pelo Dr. José Ribeiro do Nascimento (Zenito) e Tristão do Prado (Dumar) que em um jantar, os dois começaram a pensar o alvorecer de um novo tempo.
13. Amaralina
14. Americano do Brasil – Em homenagem ao médico e escritor Dr. Americano do Brasil
15. Amorinópolis – O nome foi dado em homenagem a Israel de Amorim, que também batalhou pela emancipação da localidade.
16. Anápolis – Significa literalmente cidade de Ana, homenagem a Nossa Senhora de Sant’ana ou a Dona Ana das Dores de Almeida que prometeu construir a capela.
17. Anhanguera – Recebeu esse nome em função da Estação Anhanguera às margens do ribeirão Pirapitinga. Anhanga + -ûer(a), pode estar significando “diabo velho”.
18. Anicuns – Surgiu da tribo indígena Guanicuns, que por sua vez, teve denominação dos pássaros guanicuns da pré historia, que se destacavam pelo seu grande porte, peso e comprimento das suas asas.
19. Aparecida de Goiânia – Homenagem à padroeira Nossa Senhora Aparecida
20. Aparecida do Rio Doce – Com a fundação da vila e construção da Igreja de Nossa Senhora Aparecida, gradativamente foi se consolidando o assentamento dos habitantes no loteamento, situado às margens do Rio Doce, e atraídos principalmente pela pecuária e agricultura de subsistência.
21. Aporé – “Aporé”, rio cujas margens se situava, que significa “rio do peixe”.
22. Araçu – Terra Grande ou Grande Terra
23. Aragarças – União dos nomes dos Rios Garças e Araguaia.
24. Aragoiânia – O nome definitivo Aragoiânia foi uma escolha de José Cândido Rosa, devido à localização entre Goiânia e o Rio Araguaia.
25. Araguapaz – A origem do nome Araguapaz é devido à localidade estar situado no vale do Rio Araguaia e próximo ao Ribeirão Isabel Paes.
26. Arenópolis – Inicialmente chamado de patrimônio do Areia, nome este oriundo do nome do ribeirão que banha a região
27. Aruanã – Aruanã, nome de um peixe abundante na região, o qual ilustra o brasão do município. Aruanã é, também, o nome de uma dança sagrada dos Karajá.
28. Aurilândia – O nome de Marilândia, lembrando a figura de Mário Melo, grande incentivador da localidade. Não se efetivou contudo, a instalação.
29. Avelinópolis – O nome dado ao novo Distrito é o resultado de uma homenagem que se tributou a um dos pioneiros da região que, ali, se radicou, desde os primórdios da povoação. O desbravador, em referência, chama-se JOÃO AVELINO GOMES, natural da Bahia.
30. Baliza – Que recebeu o nome de Baliza, nome decorrente da existência de uma pedra, de 5 metros de altura, no meio do Rio Araguaia, que banha a região.
31. Barro Alto – Originário da fazenda onde se formou, região “alta” que se fez conhecida pelo “barro”, viscoso e abundante em seu solo.
32. Bela Vista de Goiás – Recebeu o nome por estar situado num altiplano de 700 metros proporcionando uma bela vista.
33. Bom Jardim de Goiás – Formando a fazenda Bom Jardim, nome decorrente da beleza dos campos, do ribeirão próximo, em cujas terras originaram-se a povoação.
34. Bom Jesus de Goiás – Foi doada por D. Carolina Vieira da Mota, uma área de terras de campos, num total de 16 há e 336 alqueires ao Senhor Bom Jesus, com a finalidade de ali se construir um patrimônio com o nome de Bom Jesus.
35. Bonfinópolis – A origem do nome foi uma homenagem à cidade de Bonfim, hoje Silvânia. Outra versão seria que foi dado por Dom Emanuel, então arcebispo da região fazendo referência ao Senhor do Bonfim.
36. Bonópolis
37. Brazabrantes – Em homenagem ao general goiano Braz Abrantes.
38. Britânia – Foi realizado um concurso para a escolha do nome da cidade, no qual concorreram os seguintes nomes: Quênia, Primavera, Goiás Luz, Vera, sendo eleito o nome Britânia, indicado por alguém que conhecera e o indicou pela grande semelhança do município, em seus aspectos geográficos e hidrográficos, com as Ilhas Britânicas.
39. Buriti Alegre – A origem do nome de “Buriti” se deu devido à quantidade de palmeiras buriti presente na região, principalmente no brejo e “Alegre” pelo canto de felicidade dos pássaros que desfrutavam de suas castanhas, permanecendo assim a então Buriti Alegre.
40. Buriti de Goiás – Buriti de Goiás tem este nome devido a Palmeira Buriti encontrado com abundância nas nascentes dos Córregos da região.
41. Buritinópolis – Em homenagem ao belo rio que banha o município, Rio Buritis
42. Cabeceiras – O povoado nasceu na cabeceira do Córrego Taboquinha
43. Cachoeira Alta – Nome do ribeirão que corria nas proximidades
44. Cachoeira de Goiás – Distrito criado com a denominação de Cachoeira da Fumaça, subordinado ao município de Goiás
45. Cachoeira Dourada – O nome da cidade se deve a que até a década de 50 existia uma linda cachoeira, que segundo relatos de moradores da época, se podia ouvir o som da cascata ao longe, e o “dourada” se refere ao reflexo do sol no vapor da água que caia da cachoeira formando um arco-íris e também grande quantidade de dourados que se podia pescar na época.
46. Caçu – Nome de um ribeirão do município de Uberaba-MG, origem do fundador da cidade Pedro Paula.
47. Caiapônia – Esse importante município tivera em sua região, como seus primeiros habitantes, os Índios Caiapós, que possuíam aldeias ao longo do Vale do Rio Caiapó e, posteriormente, foram expulsos pelos colonizadores da região.
48. Caldas Novas – Martinho Coelho, enquanto caçava nas matas vizinhas, descobriu novas fontes às margens do Rio Pirapetinga, às quais deu o nome de Caldas de Pirapetinga, e outras às margens do Córrego Lavras, dando-lhes o nome de Caldas Novas.
49. Caldazinha – Nome este devido à sua localização entre o Rio Caldas e o Ribeirão Sozinha.
50. Campestre de Goiás – Origem do nome: devido à povoação ficar à margem do Córrego Campestre, recebeu assim o mesmo nome do Córrego, o que é conservado até o dia de hoje, acrescido apenas de “Goiás”, ou seja, “Campestre de Goiás”.
51. Campinaçu – Inicialmente, o povoado ficou conhecido como Lagoa Campina Verde e se tornou distrito de Minaçu.
52. Campinorte – CAMPINORTE, em virtude da região apresentar extensas campinas e por estar localizado na região norte do Estado.
53. Campo Alegre de Goiás – Em 1944, o CRGE (Conselho Regional de Geografia e Estatística), mudou o nome do distrito, denominando RUDÁ, que significa “Deus do Amor”
54. Campo Limpo de Goiás – Como a região possui uma vasta região plana foi denominado de Campo Limpo, após sua emancipação passou a chamar-se; Campo Limpo de Goiás.
55. Campos Belos – Um frei dominicano de passagem pela região, encantado com a planície cortada por córregos e cercada por morros, dando o aspecto de muralhas, sugeriu a mudança do nome para Campos Belos
56. Campos Verdes – Campos Verdes, devido às minas de esmeraldas em homenagem ao verde esmeraldino que imperava nesta terra.
57. Carmo do Rio Verde – Em louvor à Padroeira e como lembrança ao rio que banha a região.
58. Castelândia – Toponímia é uma junção de Castelo (Ribeirão) com “andirá” (Uberlândia) destino da maioria dos viajantes da época.
59. Catalão – Em homenagem ao Frei Antônio, espanhol natural da Catalunha apelidado de O CATALÃO
60. Caturaí – Significa rio bom ou rio bonito
61. Cavalcante – Em homenagem ao fundador e colonizador, o garimpeiro Diogo Teles Cavalcante
62. Ceres – Nome de uma deusa muito reverenciada na mitologia greco-romana, por ser identificada como sendo quem fornecia o alimento para os povos, pois era a deusa dos cereais.
63. Cezarina – O lugar passou a se chamar Cezarina devido ao seu fundador, João Argemiro Cezar
64. Chapadão do Céu – Chapadão do Céu, nome escolhido pelo fundador devido à ilusão de ótica ao se olhar para a cidade à distância, parecendo vê-la flutuar num imenso lago no horizonte.
65. Cidade Ocidental – Em 15 de dezembro de 1976 deu-se a fundação do núcleo, cuja a construção ficou a cargo da Construtora Ocidental – daí a origem do nome Cidade Ocidental.
66. Cocalzinho de Goiás – A origem da cidade de Cocalzinho de Goiás se dá por volta de 1960 com o surgimento da Fábrica de Cimento do Grupo Votorantim em terras cedidas pela família Curado Fleury.
67. Colinas do Sul – O nome Colinas foi dado em função das características do relevo, por sugestão de João Bernardes Rabelo e aprovado pela população local.
68. Córrego do Ouro – O topônimo tem origem no córrego do mesmo nome, que banha o município e no ouro, largamente extraído.
69. Corumbá de Goiás – Rio Corumbá, do qual se originou o topônimo que significa em tupi-guarani ”banco de Cascalho”.
70. Corumbaíba – o povoado passou a se chamar Vila Corumbaíba, porque o local é banhado pelos Rios Corumbá e Paranaíba.
71. Cristalina – Em referência ao Cristal de Rocha que existia em abundância naquela região.
72. Cristianópolis – A denominação de Cristianópolis aconteceu em 1927, a pedido do senador Alfredo Teixeira, denominação dada devido à maioria de seus habitantes serem evangélicos.
73. Crixás – A região era habitada pelos índios “Kirirás” ou Curuchás, cuja tradução do tupi: CRIXÁS deu origem à denominação dos dois grandes rios e da povoação nascente.
74. Cromínia – Em 1943, recebeu o nome de Cromínia, em virtude da exploração do minério de cromita, na serra Paraíso
75. Cumari – É um termo indígena originário de uma planta nativa da região, a pimenta Cumari.
76. Damianópolis – Surgiu em homenagem a uma das pioneiras da região por nome de Damiana, mulher de uma extraordinária força física, que contribuiu para a fundação e desenvolvimento local.
77. Damolândia – Em homenagem ao seu fundador Antônio Damaso da Silva
78. Davinópolis – Em 1.963, o topônimo foi alterado para Davinópolis, em homenagem à família de David de Souza, cujo chefe (José David de Souza), foi o fundador da localidade.
79. Diorama – Diorama que, conforme o Dicionário Aurélio, significa: dia, através e aroma, espetáculo; quadro pintado em tela de grandes dimensões, sendo iluminado de modo a produzir diferenciados efeitos de ótica, estando o espectador na obscuridade.
80. Divinópolis de Goiás – Cidade abençoada, distrito de Deus.
81. Doverlândia – Homenagem ao fundador da cidade Dovercino Borges
82. Edealina – O nome da localidade deve-se ao fato de Edealina estar situada entre Edéia e Pontalina.
83. Edéia – Há relatos de que um homem teria tido uma ideia, mas falou “edéia” e assim ficou o nome.
84. Estrela do Norte – Como dádiva do firmamento para a região setentrional antes tão esquecida e despovoada.
85. Faina – Chegaram à região banhada pelo córrego Faina, em 1954. Nesta época, a família de Maria Celestina Ferreira de Brito já habitava a localidade. Demoraram vários dias até identificar terras férteis onde iriam iniciar o povoamento.
86. Fazenda Nova – O povoamento da sede municipal iniciou-se em 1945 na fazenda Três Ilhas (Fazenda Velha), de José de Paula Barbosa, ao se tornar município recebeu o topônimo de Fazenda Nova
87. Firminópolis – Numa reverência ao fundador, Manoel Firmino dos Santos.
88. Flores de Goiás – Devido à existência de alguns arbustos floridos às margens do Rio Paranã
89. Formosa – Diante das suas belezas naturais e buscando homenagear a imperatriz D. Teresa Cristina, foi elevada à categoria de vila, recebendo o nome de Vila Formosa da Imperatriz
90. Formoso – O nome de Formoso tem origem no rio que banha a região
91. Gameleira de Goiás – Devido aos moradores da região que se reuniam à sombra de uma árvore com o nome de Gameleira, para rezar e assim surgiu o nome do município.
92. Goianápolis – Recebeu esse nome por estar entre Goiânia e Anápolis.
93. Goiandira – A estação férrea da Fazenda Campo Limpo, que recebeu o nome Goiandira por determinação do engenheiro da ferrovia, foi a primeira estação ferroviária do estado de Goiás.
94. Goianésia – O nome Goianésia foi escolhido por Laurentino, seguindo a tendência adotada por municípios, distritos e vilas em Goiás, a exemplo de Goianápolis, Goialândia, Goiatuba, Goianira etc.
95. Goiânia – Evocação à Pedra Goyania, na Serra Dourada, cujo nome emana do poema Goyania.
96. Goianira – Aprovado pela maioria de sua população, em consideração a uma menina portadora deste nome, filha da primeira professora da escola Estadual de São Geraldo
97. Goiás – Ao que tudo indica, esse nome teve origem na denominação da nação tupi goiaiase, que ocupava a região no final do século 16. O termo gwa ya queria dizer “individuo igual”, e, portanto, capaz de ser amigo.
98. Goiatuba – Significa “Goiás Grande” ou “onde Goiás é grande” era, segundo ele, a denominação aceitável. A junção do termo tupi “Gwa yá,” que quer dizer indivíduo igual, semelhante ou da mesma raça e a palavra “tuba,” quer dizer: grande, muito cheio, muita coisa.
99. Gouvelândia – Em homenagem ao pioneiro Sr. João de Oliveira Gouveia
100. Guapó – A origem do nome Guapó, conta a tradição, foi uma menção a cidade mineira de Guapé devido a vários imigrantes que vieram desta cidade e se instalaram na região. Para que o então distrito de Ribeirão não tivesse o mesmo nome da cidade mineira, substituiu o “e” pelo “o”. Outra versão é que o nome Guapó é de origem indígena (Tupi) e significa: Comedor de raízes.
101. Guaraíta – Guaraíta, da união de guará (lobo) e ita (pedra, em tupi guarani)
102. Guarani de Goiás – A palavra “guarani” tem origem tupi e significa guerreiro.
103. Guarinos – Chamava Gorino, devido ao morador do povoado “João Gorino”.
104. Heitoraí – O nome da cidade decorreu do sobrenome de seu pai: Heitor e das duas ultimas letras de Itaberaí, juntaram aquele sobrenome e formou-se o nome da cidade: (Heitor + aí) Heitoraí
105. Hidrolândia – Dr. Mário D’Alencastro Caiado, exímio conhecedor da região, assim como da abundância e boa qualidade de suas águas, achou apropriado denominar o novo município de “Hidrolândia”, que quer dizer “terra da água”.
106. Hidrolina – Hidrolina, por causa da presença de muitos córregos
107. Iaciara – É de origem Tupi-guarani, sua etimologia deriva de Jaci – Lua e Iara – água, Iaciara significa água da Lua ou reflexo da Lua
108. Inaciolândia – Em homenagem ao seu fundador José Inácio
109. Indiara – Uma homenagem a um coqueiro que tinha aqui: Indaiá
110. Inhumas – A escolha deu-se pela existência desta ave na região.
111. Ipameri – Vem Tupi-Guarani que é a tradução de Entre-Rios: “Y”: (rio); “pan” “meri”: (vão, espaço, entre), por se localizar entre os rios Corumbá e Braço.
112. Ipiranga de Goiás – “Ipiranga” é uma palavra de origem tupi que significa “rio vermelho”, através da junção dos termos ‘y (rio) e pyrang (vermelho)
113. Iporá – “Iporá” é um termo de origem tupi que significa “rio bonito”, através da junção dos termos ‘y (rio) e porang (bonito)
114. Israelândia – Com o novo topônimo de Israelândia, em homenagem ao grande batalhador pela sua autonomia: Israel de Amorim.
115. Itaberaí – Que significa na língua guarani “Rio das Pedras Brilhantes”.
116. Itaguari – Itaguari (ITA – de Itaberaí, GUÁ de Jaraguá e RI de Sucuri)
117. Itaguaru – Itaguaru é fruto de partes de nomes de cidades vizinhas, quais sejam; ITAberaí, jaraGUA e uRUana, que circundam aquele Município.
118. Itajá – “Itajá”, que representa uma inversão de “Jataí”, em homenagem à cidade-mãe da qual se emancipou.
119. Itapaci – Que em tupi significa “Pedra Bonita”
120. Itapirapuã – Itapirapuã significa “pedra branca do poço do peixe” em linguagem indígena.
121. Itapuranga – Em tupi-guarani significa literalmente: ¨pedra bonita¨.
122. Itarumã – A origem do nome vem da beleza das árvores conhecidas pela região Tarumã, pela abundância de serras e montanhas rochosas.[ITA] – pedra [TARUMÃ] árvores encontradas na região.
123. Itauçu – Significa, em Tupi Guarani, “pedra grande”. Outras interpretações traduzem como “pedra dura” e também, ao pé da letra, como “grande pedra preta”. De itá: pedra; u: preto, negro; e uçu: grande
124. Itumbiara – Em língua Tupi-Guarani, o topônimo Itumbiara significa “Caminho da Cachoeira”, através da junção dos termos ytu (“cachoeira”) e piara (“caminho para” )
125. Ivolândia – Homenagem ao Sr. Ivo Moreira Neves, um dos primeiros moradores e doador de 5 alqueires de terras para o Patrimônio
126. Jandaia – A origem do nome da cidade (Jandaia) vem de uma espécie de piriquito do género Aratinga que vive na região.
127. Jaraguá – Esse povoado teve o nome de Córrego do Jaraguá, por localizar-se ao sopé de uma montanha semelhante ao Pico do Jaraguá, em São Paulo. A palavra Jaraguá deriva da língua Tupi-Guarani – Yara – Guá – e significa Senhor do Vale.
128. Jataí – “Jataí” procede do tupi antigo îate’i, que designa algumas variedades de abelha.
129. Jaupaci – Jaupaci, escolhido em concurso com a participação popular, concurso este, vencido por uma jovem adolescente por codinome “Vezinha”. Nome composto por designação de prefixos de parte de trechos do RIO CLARO: JAu, PAcu e CIpo
130. Jesúpolis – A palavra Jesúpolis significa: Jesus devido à devoção ao menino Jesus e polis significa cidade, assim, Jesúpolis quer dizer cidade de Jesus.
131. Joviânia – Homenagem ao fundador e doador de uma gleba de terra à paróquia de N. Sª D’Abadia, Joviano Ferreira Barbosa
132. Jussara – O local ganhou o nome de Jussara, em homenagem à Jussara Márquez, primeira goiana eleita Miss Brasil
133. Lagoa Santa – Chegando a um determinado local, os companheiros de Virgílio encontraram uma lagoa de águas quentes, límpidas e com grande variedade de peixes. Resolveram banhar-se na lagoa, sentiram sinais de melhoras em seus corpos e descobriram o poder medicinal das águas. Daí a origem do nome do município, Lagoa Santa.
134. Leopoldo de Bulhões – Em homenagem a José Leopoldo de Bulhões Jardim, natural de Goiás, que ocupou por duas vezes o cargo de Ministro da Fazenda
135. Luziânia – Seu nome é uma homenagem à santa padroeira do município, Luzia, a quem foi erguido um grande cruzeiro.
136. Mairipotaba – Mairipotaba em tupi-guarani significa literalmente: ¨a cidade dos víveres ( do abastecimento) ¨ ( mairi + potaba )
137. Mambaí – (MAN= Mangaba, por conta da extração de látex. BAÍ= Bahia, por conta da proximidade com o estado e por ter sido à origem dos pioneiros desta terra)
138. Mara Rosa – “Mara Rosa”, em homenagem às filhas do fundador da nova povoação: Rosa Maria e Maria Rosa.
139. Marzagão – Recebeu esse nome em referencia à fazenda Boa Vista de Marzagão, situada no Município de Caldas Novas.
140. Matrinchã – Nome em referência ao córrego que passa pelo local e a fazenda Matrinchã
141. Maurilândia – Na época da emancipação política, o governador de Goiás era o Senhor Mauro Borges Teixeira. Portanto, foi ele que assinou o Decreto-Lei para Maurilândia deixar de ser Distrito e se tornar efetivamente uma cidade. Lândia significa cidade + Mauri (Mauro) = Maurilândia. Ou seja: cidade do Mauro.
142. Mimoso de Goiás – Em referência a fazenda Retiro do Mimoso que originou o povoado.
143. Minaçu – Minaçu, que em tupi-guarani significa Mina Grande
144. Mineiros – Expedições provenientes da região do Triângulo Mineiro de Minas Gerais
145. Moiporá – Com o Topônimo de Moiporá, termo originário da junção do nome dos municípios vizinhos de Moitu, hoje Cachoeira de Goiás, e Iporá.
146. Monte Alegre de Goiás – Em referencia ao antigo Arraial Monte Alegre
147. Montes Claros de Goiás – O novo topônimo de “Montes Claros de Goiás”, denominação atribuída à existência de pequenas elevações, montes, existentes nas proximidades da zona urbana, e do Rio Claro, a 15 km da sede municipal. O nome remete-se aos montes que circundam a cidade e ao rio que banha o município.
148. Montividiu – Por ser situada próximo ao ribeirão Montividiu, que teve esse nome, por ter nascido na Serra Dourada, onde um monte dividiu dois ribeirões, um seguiu com o nome Corrente e o outro com o nome Montividiu.
149. Montividiu do Norte – Por ser situada próximo ao ribeirão Montividiu, que teve esse nome, por ter nascido na Serra Dourada, onde um monte dividiu dois ribeirões, um seguiu com o nome Corrente e o outro com o nome Montividiu. Devido antes ter sido emancipado outro município com o nome de Montividiu passou a chamar-se “do Norte”
150. Morrinhos – A designação se remete a três acidentes geográficos da região: morros do Ovo, da Catraca e da Cruz.
151. Morro Agudo de Goiás – Por ser a parte mais elevada da região de Rubiataba, ponto de referencia para os comandantes de aeronaves, ganhou o nome de Morro Agudo.
152. Mossâmedes – Título do Governador da Capitania de Goiás e Capitão-General, D. José de Almeida Vasconcelos Several de Carvalho, Barão de Mossâmedes
153. Mozarlândia – Homenagem a seu fundador, o agrimensor Mozart Andrade Mota, que também foi um de seus primeiros prefeitos e ajudou no desenvolvimento do município.
154. Mundo Novo – “Mundo Novo”, por representar ao fundador uma “região ou espaço virgem, de matas e terras fertilíssimas, com promissoras perspectivas de desenvolvimento”.
155. Mutunópolis – “Mutunópolis” é formado pela junção do termo de origem tupi “mutum” com o termo de origem grega pólis (cidade), significando, portanto, “cidade dos mutuns”.
156. Nazário – Homenagem ao fundador da cidade, Nazário Pereira de Oliveira
157. Nerópolis – Em homenagem ao senador Nero Macedo
158. Niquelândia – Em homenagem ao minério que lhe deu riqueza e fama, São José do Tocantins passa a se chamar Niquelândia
159. Nova América – “Nova América”, uma homenagem à esposa de seu fundador, América do Couto.
160. Nova Aurora – Os carreiros escolhiam as margens do Córrego Barreiro para acomodarem seus pousos e descansarem a boiada após uma árdua caminhada que vencia distâncias. Logo ao romper da aurora, seguiam a viagem.
161. Nova Crixás – Recebeu o nem depois de sua emancipação de Crixás.
162. Nova Glória – João Schettini, o batizou com o nome de Nova Glória, em homenagem à sua terra natal, São João da Glória, localizada em Minas Gerais.
163. Nova Iguaçu de Goiás
164. Nova Roma – Em 1858, foi elevada a Freguesia, com a denominação de Nova Roma, de origem desconhecida, pertencente à Vila de Cavalcante.
165. Nova Veneza – Este povoado recebe então o nome de Colônia Italiana, sendo mais tarde substituído para Nova Veneza em homenagem a seus fundadores.
166. Novo Brasil – Foi numa dessas rezas que o nome do município foi escolhido, quando um dos presentes, ressaltou a necessidade de dar um nome ao povoado e, movido pelo ufanismo patriótico, declamou ser aquela terra, um novo Brasil, devido a sua localização, clima, relevo, que garantiria grandes possibilidades de progresso… Então, fazendo alusão ao descobrimento do nosso país, um deles levantou-se e concluiu com a aprovação dos demais: “…está decidido, esse será o nome do lugar: Novo Brasil!”.
167. Novo Gama – Chamou-se esta localidade de Novo Gama, pelas proximidades com a cidade satélite do Gama, Distrito Federal.
168. Novo Planalto – Elevado à categoria de município com a denominação de Novo Planalto
169. Orizona – Termo do latim que significa “Região do Arroz”. O termo surgiu da junção do prefixo “Oriza”, que significa Arroz, e do sufixo “Zona”, que significa Região.
170. Ouro Verde de Goiás – Em decorrência das extensas lavouras de café e da qualidade superior do produto
171. Ouvidor – Em homenagem ao ribeirão que banha o município, Ribeirão Ouvidor
172. Padre Bernardo – A denominação é homenagem ao pároco de Luziânia, que visitava constantemente o novo povoado com o objetivo de realizar casamentos e batizados, além de atender à demanda religiosa da localidade.
173. Palestina de Goiás – Convocou um plebiscito entre os moradores do local, que apresentaram várias sugestões de nome, por fim dois foram os escolhidos para disputar o plebiscito: Palestina e Jerusalém, que submetidos à votação popular o primeiro (Palestina) sagrou-se campeão com 84 votos a favor e 36 contra. Emancipação que só veio acontecer no dia 30 de dezembro de 1987, oportunidade que foi necessário acrescentar ao nome da cidade as palavras “DE GOIÁS”, visando diferencia-la de outra também Palestina já emancipada e localizada no Estado de São Paulo.
174. Palmeiras de Goiás – Foi determinado pelo grande número de palmeiras que existia no município
175. Palmelo – O topônimo deve-se ao nome do Engenho Palmela, de propriedade do comandante militar do distrito de Santa Cruz, Capitão Caetano Teixeira de Sampaio. Outra versão: A fazenda que supostamente deu origem a cidade, pertencia a certo Barão de Palmela, guarda-mor do Imperador D. Pedro II
176. Palminópolis – Nome este, devido a cidade estar localizada entre Palmeiras de Goiás e Firminópolis.
177. Panamá – Um casal de panamenhos oriundos da América Central que passaram a habitar as margens de um ribeirão, o qual, devido ao casal que ali residia, recebeu o nome de ribeirão Panamá. , em homenagem ao casal que ali residia, e ao ribeirão que já havia adquirido este nome
178. Paranaiguara – É constituída por três termos indígenas: “Paraná – Grande; I – Rio; Guara – Margem do vale”, que seu significado é “Vale do Grande Rio”
179. Paraúna – “Paraúna” é um termo de origem tupi e significa “rio preto”, através da junção dos termos pará (“rio”) e un (“preto”). Ou ainda, Rio (pará) de Pedra (una).
180. Perolândia – Devido a grande quantidade de Perobas Rosa existentes nesta região e que foram usadas na construção de Brasília
181. Petrolina de Goiás – A povoação, chamada inicialmente Descoberto, por estar às margens do córrego do mesmo nome, passou a denominar-se Petrolina, em homenagem ao fundador, Joaquim Pedro
182. Pilar de Goiás – Vila de Papuã passou a se chamar arraial de Pilar de Goiás, para lembrar a todos que a santa Nossa Senhora do Pilar, ajuda aqueles que recorrem a ela.
183. Piracanjuba – “Piracanjuba” é o nome de uma espécie de peixe que já foi muito encontrada em rios da região. Piracanjuba é termo indígena que significa peixe de cabeça amarela: o dourado. Do tupi pira: peixe; acanga ou acã: cabeça; e yuba: amarelo, louro.
184. Piranhas – Esse nome se dá ao peixe piranha, que há muito tempo atrás, existia em grande abundância no rio que corta a cidade
185. Pirenópolis – significa “a Cidade dos Pireneus”. Seu nome provém da serra que circunda a cidade que é a Serra dos Pireneus
186. Pires do Rio – Seu nome foi dado em homenagem ao Ministro de Viação e Obras Públicas do Governo Epitácio Pessoa, José Pires do Rio
187. Planaltina – Antes de se chamar Planaltina, a cidade se chamava Mestre d’Armas. Em 1917, mudou para Planaltina porque foi fundada no coração do Planalto Central há mais de 150 anos.
188. Pontalina – Fica evidente que o nome pontal, donde deriva Pontalina, não vem da divisão do município pelos rios Meia ponte e Rio dos Bois , mais sim pela geografia da cidade, onde e circundada em 3 partes por córregos
189. Porangatu – Lenda: Contam os antigos que o forte e valente bandeirante Antônio apaixonou-se pela bela índia Angatu da tribo dos Canoeiros. Não tardou, esse romance veio a ser descoberto e proibido. O moço foi condenado a morrer flechado e o corpo queimado. Ao receber as flechadas mortíferas expira, e, suas últimas palavras são dirigidas à amada ¨Morro por Angatu¨. “Porangatu” é um termo de origem tupi que significa “bonito e bom”, através da junção dos termos porang (“bonito”) e katu (“bom”)
190. Porteirão – Na divisa das fazendas dos fundadores do município, João e Elson Alves, existia uma porteira e, ao lado dela, uma vendinha. Assim surgiu o nome do povoado
191. Portelândia – Nome antigo Córrego da Porteira
192. Posse – Topônimo decorrente do “apoderamento” da área à margem do Córrego Passagem dos Gerais, pelos primitivos habitantes.
193. Professor Jamil – O município de Professor Jamil. A denominação do município foi uma homenagem que dois de seus mais importantes pioneiros Taufic e Jorge Salim Safady, resolveram prestar a seu irmão Jamil Salim Safady.
194. Quirinópolis – Recebendo o nome de Quirinópolis, em Homenagem a José Quirino Cardoso
195. Rialma – “Rialma” forma sincopada de “Rio das Almas”
196. Rianápolis – Decorrente de sua situação entre Rialma e Anápolis
197. Rio Quente – Rio Quente foi descoberto em 1722 por Bartolomeu Bueno Filho. Diz a história, que seu cão fugiu e entrou em um rio quente, de água escaldante, ao ouvir os gritos do cão, o bandeirante foi ver o que tinha ocorrido. Ele logo percebeu que era um rio de água quente. Após o resto de o mundo saber da notícia, a região começou a receber turistas de diversas partes do mundo.
198. Rio Verde – O município surgiu às margens do Rio Verde.
199. Rubiataba – “Rubiataba” (rubiácea = café; e taba = aldeia), em virtude da existência do cafezal nativo, cultura que dominou a região na época.
200. Sanclerlândia – O nome Sanclerlândia se deve ao fato de seu fundador se chamar Saint Clair, nome de origem francesa. Como o pessoal local tinha dificuldade em pronunciar “Saint Clair”, o mesmo foi apelidado de Sancler
201. Santa Bárbara de Goiás – Homenagem a padroeira da cidade
202. Santa Cruz de Goiás – A posse dessa área foi simbolizada por uma “Cruz”, com a inscrição “Viva el-Rei de Portugal”, justificando a denominação recebida: SANTA CRUZ.
203. Santa Fé de Goiás
204. Santa Helena de Goiás – De acordo com César Silva, Custódio já tinha até um nome em sua mente para o local: Santa Helena, em homenagem à sua protetora.
205. Santa Isabel – Recebeu o nome de ″Santa Isabel″, em homenagem à esposa do fundador e à padroeira local.
206. Santa Rita do Araguaia – O desbravador José Manoel Vilela, residente às margens do rio Claro, atual Município de Jataí, desde 1836, estendeu o domínio de suas terras até o Rio Araguaia. Em 1854, ele e Dona Leocádia Perpétua de Silvéria doaram 2000 alqueires de terras da Fazenda Araguaia ao Patrimônio da Paróquia de Santa Rita dos Impossíveis
207. Santa Rita do Novo Destino
208. Santa Rosa de Goiás – Como referência à fazenda Santa Rosa que lhe deu origem e distinguindo-se de topônimos iguais.
209. Santa Tereza de Goiás
210. Santa Terezinha de Goiás – A cidade recebeu este nome devido à devoção do fundador e pelo fato da fazenda também ter este nome.
211. Santo Antônio da Barra – Joaquim Domingos da Silva e Alventina Borges da Silva. O casal fixou um cruzeiro na região, no dia 13 de julho de 1951, em devoção a Santo Antônio. O surgimento do patrimônio atraiu, aos poucos, a atenção de outras pessoas, que se mudou para o local.
212. Santo Antônio de Goiás – Como tudo havia se iniciado com o nome de Santo Antônio – padroeiro da cidade, acrescentou-se apenas “de Goiás”
213. Santo Antônio do Descoberto – O rio que corria por ali se chamava Despertado, mas depois da descoberta do ouro na região passou a chamar Rio Descoberto. O nome Santo Antônio é uma homenagem a Antônio Pereira Lisboa, bandeirante.
214. São Domingos – Em homenagem ao padroeiro, São Domingos de Gusmão, que deu origem aos nomes do principal rio da região e do próprio município.
215. São Francisco de Goiás – Em uma dessas fazendas, às margens do Córrego da Raposa, pertencente a Francisco de Chagas de Assis, foi por ele construída uma capela de palha. Periodicamente, em companhia de lavradores vizinhos, ele rezava terço em louvor a São Francisco. À medida que as terras eram cultivadas, surgia um aglomerado de casas, originando aí o povoado de São Francisco das Chagas
216. São João da Paraúna – Homenagem ao padroeiro da cidade, São João Batista e “Paraúna” é um termo de origem tupi e significa “rio preto”, através da junção dos termos pará (“rio”) e un (“preto”). Ou ainda, Rio (pará) de Pedra (una).
217. São João d’Aliança – Em homenagem à Aliança Liberal, que triunfou em 1930.
218. São Luís de Montes Belos – O nome foi escolhido em razão da Fazenda São Luiz e “Montes Belos” veio unir-se ao nome por causa das serras com picos muito finos na entrada da cidade.
219. São Luíz do Norte – Em homenagem a um santo da sua devoção, do Norte, devido a sua localização geográfica
220. São Miguel do Araguaia – Em homenagem ao Santo Padroeiro e ao rio pelo qual é banhado.
221. São Miguel do Passa Quatro – Em homenagem ao Padroeiro São Miguel e ao Rio Passa Quatro
222. São Patrício – Em homenagem ao vale de São Patrício que agregava várias cidades da região, inclusive São Patrício.
223. São Simão – Em homenagem ao Padroeiro São Simão
224. Senador Canedo – O nome da cidade é uma homenagem ao senador Antônio Amaro da Silva Canedo, primeiro representante do estado de Goiás em cenário nacional.
225. Serranópolis – Serranópolis indicando as serras que envolvem a cidade
226. Silvânia – O nome Bonfim, foi alterado para Silvânia em 1943, em homenagem à família Silva, de Vicente Miguel da Silva e seus descendentes, que ocupavam cargos de grande prestígio na cidade.
227. Simolândia – Desmembrada do município de Posse, em 1967 pelo então Prefeito Simão Soares o qual se deu origem o nome de cidade
228. Sítio d’Abadia – Anos mais tarde chega o primeiro vigário da localidade, o padre Leonardo de Freitas Costa, assim as irmãs de D. Laureana doaram sua chácara para Nossa Senhora D’Abadia, dai a localidade Antes “Barreiro” passa a ser denominado de “Sítio da Senhora D’Abadia” e mais tarde Sítio D’Abadia.
229. Taquaral de Goiás – Por estar às margens do córrego de mesmo nome e nas terras da Fazenda Taquaral.
230. Teresina de Goiás – A cidade desde o início recebeu este nome devido a devoção do fundador e por causa da fazenda ter este nome. Depois disto as mulheres fizeram os adobes e os homens ergueram uma igrejinha.
231. Terezópolis de Goiás – A população escolhe o nome em homenagem a padroeira
232. Três Ranchos – Há duas versões para a origem do nome do município, uma conferindo o nome “três ranchos” aos locais de pouso para os viajantes e tropeiros, outra o atribuindo a ranchos que se localizavam no alto da serra, onde teria existido um pequeno quilombo.
233. Trindade – Em homenagem à história dos garimpeiros Ana Rosa e Constantino Xavier, casal que encontrou uma medalha com a ilustração do Divino Pai Eterno, na mesma região em que se situa, atualmente, o Santuário Basílica, templo o qual atrai cristãos à cidade durante a Festa do Divino Pai Eterno.
234. Trombas – Por causa de um rio que nascia entre duas serras, e tinha o formato de uma tromba de elefante.
235. Turvânia – Nome que foi dado em função do Rio Turvo.
236. Turvelândia – A cidade de Turvelândia é mais conhecida pelo seu apelido pejorativo: pirraça. Há certo tempo um morador local, disse uma frase que acredito que tenha tido resultados: Deixe de pirraça, diga: Turvelândia.
237. Uirapuru – Em homenagem ao pássaro Uirapuru
238. Uruaçu – Que em tupi-guarani significa pássaro grande.
239. Uruana – Homenagem ao Rio Uru e a esposa do Senhor José Alves Toledo, Ana Machado Parreira
240. Urutaí – Segundo o folclorista Bariani Ortêncio, o nome da lenda deriva da língua indígena que quer dizer ” rio dos urutaus” ou “pássaro noturno que voa a natureza”.
241. Valparaíso de Goiás – Há duas versões para a origem do nome do município; uma é em virtude de uma homenagem que quiseram prestar a um engenheiro desconhecido, natural de Valparaíso, Chile. Contudo, pesquisas recentes dão conta de que Cesar Barney, arquiteto colombiano, natural de Cali, foi o responsável pelo projeto urbanístico.
242. Varjão – José Rodrigues Rosa, construiu o primeiro rancho no lugar denominado Vargem Grande, situado na fazenda Salobro de Cima. Em virtude de sua grande extensão territorial Vargem Grande, passou a denominar­-se Varjão
243. Vianópolis – Em homenagem ao fundador o coronel Felismino de Souza Viana.
244. Vicentinópolis – Homenagem ao fazendeiro Vicente Ferreira Meirelles que doou dez alqueires de terra para formação de um povoado agrícola e a construção de uma capela em louvor de São Sebastião.
245. Vila Boa
246. Vila Propício – Cujo nome homenageia seu fundador, Joaquim Propício de Pina